Uncategorized

Rodízio é empurrar com a barriga

BH: 1,5 milhão de carros circulando nas ruas

Belo Horizonte tem 1, 5 milhão de veículos circulando pelas ruas. Em 2004 eram 790 mil. Num passado recente deslocar usando qualquer tipo de transporte era sinônimo de dor de cabeça apenas em horários de rush, vésperas de feriados e só. Hoje, em qualquer dia e horário, o jeito é sair com grande antecedência, pois do contrário, é atraso na certa. Soluções começaram a pipocar por aí. BRT, monotrilho, estacionamento subterrâneo, além do sonhado metrô. Agora, de acordo com matéria publicada pelo jornal Estado de Minas, dessa quarta-feira, dia 4, o temido rodízio e até o pedágio surgem como possíveis medidas para dar conta do caos urbanos que nos encontramos. Cogitar rodízio é o mesmo que jogar a toalha e dizer: “Olha, não sabemos como resolver este problema, então, o jeito é obrigar você a deixar o carro na garagem”. Rodízio não é garantia de resolver a questão do trânsito, é empurrar com a barriga o problema. Ainda de acordo com a matéria do EM, a Cidade do México optou pelo sistema e se viu obrigada a restringir ainda mais o uso do veículo, devido ao aumento da frota. São Paulo, há anos, é adepta do rodízio e basta ler e assistir os jornais para saber que pouca coisa mudou por lá. Já ouvi dizer que há paulistanos que preferem madrugar para chegar a tempo ao trabalho, e tirar um cochilo dentro do veículo, a espera do início do expediente. O BRT sozinho também não irá, como um passe de mágica, dar agilidade aos deslocamentos. As ciclovias, mesmo que integradas e com toda a infraestrutura de apoio, não serão as salvadoras da pátria. O trânsito de BH se tornará mais humano, quando todas essas soluções descritas acima estiverem integradas e funcionando de maneira lógica. Estamos pagando o preço por um crescimento da cidade que privilegia o carro e não os pedestres. Nosso transporte público parou no tempo, não é eficiente, portanto, não adianta promover campanhas para incentivar o seu uso. Ninguém vai trocar o conforto do carro por uma lata de sardinha.

Anúncios
Padrão